Planos de Saude Todos AquiFale com um consultor

Cirurgias de redução de estômago por videolaparoscopia passarão a ser pagas por convênios

Minimamente invasiva, a técnica oferece menor tempo no pós-operatório, menos dor para o paciente e alta hospitalar precoce.
A obesidade é um problema que tem afetado milhões de pessoas no mundo e cuja incidência também aumenta no Brasil. Estudos são realizados em diferentes países para entender os mecanismos que levam ao excesso de peso, assim como existem pesquisas para medicamentos. Sabe-se que um programa de atividade física personalizada, reeducação alimentar e, se necessários, remédios ajudam. Porém, quando a obesidade atinge um grau severo, levando ao desenvolvimento de doenças metabólicas e outros problemas clínicos, porque o paciente não responde a nenhum dos métodos, o procedimento cirúrgico passar a ser o mais indicado.
Quando o caso requer este tipo de intervenção, para oferecer ao paciente maior conforto no pós-operatório, a técnica cirúrgica mais indicada na realização da cirurgia bariátrica é por Videolaparoscopia. “A operação de redução do estômago por meio de Videolaparoscopia é um procedimento feito com a ajuda de uma microcâmera, que torna o procedimento menos invasivo, uma vez que são feitas pequenas incisões no abdome. Com esta técnica, as complicações com a própria ferida cirúrgica são menores, o tempo de internação e de recuperação também é menor. A tendência mundial na área de cirurgia bariátrica é a de oferecer mais qualidade de vida ao paciente”, relata Dr. Luiz Vicente Berti (CRM-SP 62294), cirurgião do aparelho digestivo e diretor do Centro de Cirurgia Obesidade e Metabólica e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) e da International Federation for Study of Obesity (IFSO).

No Brasil, a vídeolaparoscopia ainda não era uma técnica acessível a todos os pacientes que necessitassem desse tipo de procedimento – mas a situação deverá mudar já em janeiro de 2012, pois os convênios de saúde deverão incluir essa cirurgia no rol de procedimentos e eventos em saúde, de acordo com decisão da Agência Nacional de Saúde e do Conselho Federal de Medicina. “A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) criou uma campanha com o tema “Obesidade sem marcas” e consideramos o impacto dessa ação muito positivo, pois contribuímos para o debate e a mudança das regras”, comemora Dr. Berti. “A Videolaparoscopia é um método menos invasivo que representa uma economia aos planos a médio prazo, devido à redução dos dias de internação e da menor incidência de complicações. Devemos valorizar o bem-estar do paciente”, completa o médico.

A cirurgia - Minimamente invasiva e aplicável em todas as técnicas cirúrgicas, a Videolaparoscopia representa uma importante evolução tecnológica da medicina. Nela, são feitas de quatro a sete mini-incisões de 0,5 a 1,2 centímetros cada uma, por onde passam as cânulas e a câmera de vídeo. “Das quase 60 mil cirurgias bariátricas realizadas em 2010 no Brasil, 35% foram feitas via Videolaparoscopia. A taxa de mortalidade média é de apenas 0,23% – abaixo do índice de 1% estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) –, contra 0,8% a 1% da cirurgia aberta (laparotomia)” revela Dr. Luiz Vicente Berti.

Custo x benefícios -A Videolaparoscopia, por ser uma cirurgia minimamente invasiva, oferece inúmeros benefícios sobre a cirurgia convencional. Para os especialistas, as vantagens oferecidas pela técnica são várias. Dentre eles destacam-se: .Menor dor no pós-operatório |.Menor tempo de internaçã |.Melhor resultado estético, com cicatrizes menores|.Retorno mais rápido às atividades rotineiras|.Menor índice de infecção.

De acordo com o Dr. Luiz Vicente Berti, a cirurgia bariátrica por Videolaparoscopia dura, em média, entre 40 minutos e 1 hora e 30 minutos. E nela é realizado de quatro a sete pequenas incisões de 0,5 a 1,2 centímetros. Já no pós-operatório, os benefícios são ainda maiores, pois ocorre uma dor mínima por um dia ou ela é quase inexistente (característica mensurada pela quantidade de analgésicos consumidos pelo paciente), alta hospitalar precoce e retorno mais rápido às atividades laborais, por volta de 7 a 10 dias, enquanto que na cirurgia aberta, o paciente fica, no mínimo, três dias internado e leva de 30 a 50 dias para voltar à rotina normal. Outro ponto observado é que a Videolaparoscopia ainda apresenta menor risco de infecções, além de resultar em pequenas cicatrizes.

Na avaliação do Dr. Luiz Vicente Berti não existem contraindicações extremas para a não-realização de cirurgias videolaparoscópicas. “Em alguns casos, encontramos contraindicações relacionadas ao paciente ou ao seu estado de saúde, como pacientes com doenças cardíacas ou pulmonares graves e cirurgias abdominais prévias extensas. Mas, a maior parte dos pacientes são elegíveis a esse tipo de procedimento menos invasivo. Quanto ao custo o que deve ser avaliado é o benefício que a técnica oferece, uma vez que o paciente recebe alta hospitalar em menos de 36 horas”, finaliza.

Perfil-Dr. Luiz Vicente Berti (CRM-SP 62294) - Com 20 anos de experiência em cirurgia da obesidade, Dr. Luiz Vicente Berti é um dos precursores da cirurgia bariátrica no país e um dos pioneiros deste procedimento por videolaparoscopia, ele já realizou mais de 3.500 operações. Sua carreira é pontuada pela participação em mais de 150 congressos nacionais e internacionais como palestrante, conferencista ou congressista, além da publicação de diversos artigos em livros, anais de congressos e conceituadas revistas científicas. É membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), International Federation for Study of Obesity (IFSO), American Society of Bariatric and Metabolic Surgery (ASBMS), Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC), Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica (SOBRACIL), além de integrar o corpo clínico do Instituto Garrido e do Centro de Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Centro de Cirurgia Obesidade e Metabólica-Com equipe multidisciplinar formada por profissionais com conhecimento científico e experiência clínica comprovada, o Centro de Cirurgia Obesidade e Metabólica reúne em um único local os mais avançados recursos materiais e humanos, para oferecer um atendimento completo ao paciente - cirúrgico, psicológico, nutricional e esportivo