Planos de Saude Todos AquiFale com um consultor

Assumir custo total de plano de saúde será um ônus para o consumidor, diz Proteste

SÃO PAULO – Assumir o custo total da mensalidade do plano de saúde será um ônus para o consumidor, segundo análise da Proteste - Associação de Consumidores, com base nas novas regras de planos de saúde, que permitem a aposentados e demitidos manterem o benefício.

De acordo com a Associação, o entrave é que o consumidor terá de assumir a mensalidade integral após ser desligado da empresa, sendo que este é o momento em estará mais vulnerável financeiramente.

Pense bem
Ainda no opinião da entidade, o trabalhador deve analisar bem, antes de decidir pela manutenção do plano coletivo de saúde, verificando, sobretudo, se terá condições financeiras de arcar com as mensalidades do seguro.

Apesar da questão da mensalidade, a Proteste avalia como positivo o fato de a resolução ter esclarecido as condições para se manter no plano da empresa.

A entidade lembra que a possibilidade já era prevista na Lei 9.656, de plano de saúde, mas, com as regras atuais, muitos ex-funcionários perdiam os prazos e condições para se manter no plano emprescalibri, por falta de informação.

Com a resolução publicada pela ANS (Agência Nacional de Saúde), que entra em vigor a partir de fevereiro de 2012, ficou claro, por exemplo, diz a Proteste, que a contribuição que dá direito ao ex-funcionário ou aposentado de manter o plano coletivo é qualquer valor pago pelo empregado, inclusive com desconto em folha de pagamento, para custear parte ou a integralidade da contraprestação pecuniária de seu plano privado de assistência à saúde oferecido pelo empregador, em decorrência de vínculo empregatício.